O tempo

Quando voltará o tempo
a estender-se a nossos pés
como uma planície verdejante?

Que saudades das tardes imensas,
infinitas, em que brincávamos,
corríamos, descansávamos
e líamos, horas a fio,
esses romances que nos enchiam a alma
e que em nós se tornaram!

Durmo demais ou de menos?
Sou lenta ou, antes,
apressada em demasia?
Manhãs e tardes esfumam-se
na voragem do dia-a-dia…

Nervosamente antecipo o pôr-do-sol,
enquanto percorro este labirinto
feito de momentos compartimentados,
intercalados por corredores
apinhados de ânsias e temores,
que são o meu tempo de hoje.

Sonho com o regresso do tempo infindo,
em que o corpo voltará a correr livre,
como criança, e o espírito, ousado,
voará mais alto do que nunca!

Tanto desejo esse tempo!
Tanto planeio criar
nessa planície verdejante!

Caiam paredes!
Dilate-se o espaço!
Germinem sementes!
Estenda-se a nossos pés
a imensidão do tempo!

ILONA BASTOS nasceu em 1959, na cidade de São Paulo, Brasil. Frequentou o Curso de Formação de Professores da primeira à quarta série do primeiro grau, no Rio de Janeiro. Licenciou-se em Direito pela Faculdade de Direito de Lisboa em 1983. Exerce advocacia em Lisboa. Publicou: A Espantosa História do Dinossauro de Fraldas e outras misteriosas narrativas", Editorial Minerva, 1998 (infantil).