sacumé,



né? Nunca gostei tanto do cara. Posudo, bonitão, muita brilhantina. Cheiro forte (até) demais.

No forró chegou perto de nós:

Dá licença, D. Vicença?

Voltearam, colados, parece até que ela gostou. Puxei o punhal
e misturei o sangue dos dois.

Sou cornonão!

................................................

Pedro Henrique Saraiva Leão nasceu em Fortaleza, Ceará, em 25 de maio de 1938. Médico e professor da Universidade Federal do Ceará, é poeta, embora se aventure também por textos narrativos. Editor da Revista Literapia, órgão literário da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores. Pertence à Academia Cearense de Letras e à Academia Cearense de Medicina. Títulos publicados na área de Literatura: Poesia: 12 Poemas em Inglês (Fortaleza: Imprensa Universitária, 1960); Ilha da Canção (Fortaleza: Edições UFC, 1983); Concretemas (Fortaleza: Xisto Collona Editor, 1983); Poeróticos (Fortaleza: Ed. Nação Cariri/Imprensa Universitária, 1984); Meus Eus (Fortaleza: EDUFC/Casa de José de Alencar, 1995); Trívia (Fortaleza: EDUFC, 1996); Circunstânsias (Fortaleza: Ed. Poetaria, 2003). Ensaio: Dicas para um Jovem Poeta (Fortaleza: Ed. Poetaria, 1998); Poesia Concreta no Ceará (Fortaleza: Ed. Poetaria, 2001); As plumas de João Cabra (Fortaleza: Ed. Poetaria, 2002).