Love Story

      Maria subiu aos céus numa terça-feira, sem quebrar a rotina de suas maneiras de ser múltiplo que coroava em santa a sucessão de princesas, bruxas, meretrizes, esposa amorosa e mãe dedicada que encarnava, ora impregnando o ar de uma doce essência de pureza, ora exsudando olores sensuais de cais do porto, onde os ratos correm e as pessoas se deixam lentamente devorar pela vida. 

      Saber que Maria morrera era apenas o início da surpresa que a notícia me causava, sendo instigante tentar adivinhar como tudo acontecera e não adivinhei e tiveram que me contar que, santa há um mês, como estava, oferecera a vida em intenção dos que sentem a fome na carne rala, dirigindo ainda dois ou três suspiros às crianças abandonadas e aos que em vida sofrem injustiça ou são perseguidos. 

      Limpa de alma, destituída de vaidade, comungou dezenas de comprimidos de minha pasta e cerrou os olhos com a suavidade que deixava transparecer quando era rainha e me recebia carinhosamente majestática, assumindo a cabeceira e regendo o jantar em gestos quase mágicos que faziam chegar à mesa, acolitados pela empregada discreta, frangos dourados, leitões tostados por fora e tenros por dentro, saladas exuberantes e doces gentis. Em seguida, me concedia um cigarro, ocupava a poltrona de espaldar alto e lia longos trechos de aventuras galantes e epopéias. Íamos dormir ao som de riachos límpidos que corriam livres em vales verdejantes, transbordando a leitura e inundando nossas almas. 

      Alforriado de tristezas ou dúvidas, eu tinha dias de criança e percorria leve o roteiro de minhas obrigações, sem sentir o peso da pasta e quase declamando : “Boa tarde, doutor. É um prazer vê-lo novamente. Estamos fazendo a apresentação do remédio tal, um produto do mesmo histórico de qualidade e eficiência dos demais medicamentos de nosso laboratório. Sua ação antiinflamatória, antipirética e analgésica torna-o indicado nos casos de doenças reumáticas, assim como na prevenção e tratamento de inflamações pós-traumáticas e pós-operatórias. Nas inflamações de origem infecciosa, pode ser empregado como auxiliar, em associação ao tratamento quimioterápico específico. As drágeas são revestidas com uma camada gastro-resistente. Boa tarde, doutor”. 

      A felicidade é feita de instantes fugazes e meu discurso murchava quando Maria me recebia messalina umedecida em livrinhos pornográficos que me obrigava a ler nas posições mais incômodas, com o risco de não poder sustentar por muito tempo sua fantasia, o que a faria reeditar velhas histórias de prostitutas que arrostam o perigo com audácia e valentia, gritando, jogando objetos ao chão e me anavalhando com palavras porcas 

      Eu sofria com a mesma intensidade com que amo, arrastando a pasta com a alma pesada, a fala atropelada por pensamentos loucos ou sustada por longos silêncios de compreensão: “Boa tarde, doutor”. Difícil conviver com uma variedade tão repetida de pessoas que Maria era : “Boa tarde, doutor”. Todo homem tem direito a um pouco de paz : “Boa tarde, doutor”. E tranquilidade : “Boa tarde, doutor”. 

      Nesses dias, eu pensava em deixar Maria e esquecer suas formas de me enlouquecer ou enlevar, mas quando chegava em casa a decisão se esvaía, ela muito espanhola, mordendo os lábios e piscando o olho para mim. 

CARLOS ALBERTO CASTELO BRANCO: Nascido em Parnaíba, Piauí (1942), mora no Rio. Livros publicados: "A máquina de pensar bonito contra o medo que o medo faz" . Editora Salamandra, Rio, 1986 (Prêmio Instituto Nacional do Livro, Ministério da Educação); "O pai que virava bicho". Editora Lê, BH, 1986 (Prêmio Monteiro Lobato, da Academia Brasileira de Letras); "Essas abomináveis criaturas de Deus" Editora José Olympio, Rio, 1989 (duas vezes finalista da Bienal Nestlé de Literatura). Tem contos publicados no Suplemento Literário Minas Gerais, no Jornal do Escritor e no Jornal de Letras.